Ressaca

Olhos loucos piscam a cada centímetro do café, quero guardá-lo para que amanhã sem ele o possa sentir. Carros de caras murchas, olheiras de loucura esgotada, vagos sorrisos que quem conhece entende, a voz rouca não consegue explicar e os outros não vão perceber. A minha aldeia é tudo o que mexe dentro do coração. E tudo o resto horas mortas enquanto a minha aldeia não está, afinal a minha vida fica aqui.

Comentários

AR disse…
POr mais q a gente keira fugir...a terrinha vai lá sempre ficar.
Ninfa disse…
Chamam-lhe nostalgia...
Andreia disse…
sabes bem. escrevi parecido ao mesmo tempo. ate ai somos espelhos. sentimentos iguais, a mesma tristeza a dar voltas cá dentro. parti mais cedo que tu. deixei-te la ficar. doeu e sinto ja sdds. mas aquela aldeia é nossa. minha já. amo-a como muitos que lá metem os pes nao a sabem amar. nao é so lugares de festas e mines. é muito mas muito mais que isso. nas casas, na calçada, nos cafes, nas igrejas, no lameiro e em nós. e eu vejo tudo. tenho os maiores olhos que alguem pode ter.