Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Apresentados

Um novo dia

A caneta repousa finalmente sobre o papel, quando cai a noite dos amantes. Ele chega, boca sôfrega de amor, poeta de silêncios e horas nuas, pintando de esperança e sonho a casa que ainda cheirava a morte, desgosto, tristeza. Ele era a cor, inesperado arco-íris num abraço forte e quente, como o nascer de um novo dia.

Mensagens mais recentes

Até quando

Paris dos namorados

Estórias soltas II

O sino da minha aldeia

Verão com aroma a Nesquick

Flamenca

Estórias soltas I

Espaços em branco

Castelo

Não importa