quarta-feira, abril 11, 2007

Cabeça dos outros

Se a minha cabeça fosse a dos outros eu saberia o porquê dos passos sibilantes da mulher de óculos-garrafa, que agora atravessa a passadeira. Se a minha cabeça tivesse lá dentro o cérebro dela, eu veria as razões do seu mundo, os seus cataclismos diários e os seus diálogos.
Saberia talvez, tudo o que me escondem em olhares dissimulados que prometem franqueza, mas dão escárnio. Dos risos nervosos entrelaçados com pensamentos trocistas. Ai se a minha cabeça fosse a dos outros!Se o meu pensar fosse o entendimento das razões do mendigo que passa e ninguém olha, se eu soubesse porque está ali. Talvez o pudesse distinguir, então, de todos os outros mendigos, que só não tiveram mais sorte porque estenderam as mãos à desgraça e largaram as cordas do mundo. Talvez lhe tenha morrido um filho, a esposa, terá sido a bebida?Será que sabe que é um desgraçado?Para onde vai?Se eu estivesse na cabeça dos demais deste planeta, conciliaria o sono sem indagar as razões que levam a que muitos digam e "desdigam" logo depois o que disseram. Como uma camisa a que apertam um botão, para novamente o arrancar da sua casa. Na cabeça dos outros, a que não é para mim mais do que uma sombra, em que tremelica ainda um raiar de sinceridade. Na minha cabeça, a única que não se fecha para mim na escuridão, reinam as mais absolutas incertezas sobre os outros. Sobre mim mesma. Não se fiem nas palavras. Afinal também elas nos traiem. Nos enganam. Quando os pensamentos dos outros se tornam eufemismo. Acho que descobri o porquê de tantos recursos da língua. Para esconder o que pensam eles, e o que eu penso deles. O bom e o menos bom.

2 comentários:

Hizys disse...

As palavras não são tudo, as palavras são muito pouco do que é sentir. mas na cabeça dos outros ainda somos qualquer coisa, talvez uma sensação perdida. mesmo não nos entendendo em certos olhares podemos deixar um bocadinho, na cabeça dos outros.

xuxana disse...

Muitas coisas seriam diferentes se soubessemos o que vai na cabeça (e no coração) de muita gente...

Mas como nada é perfeito... ficamos na incerteza.

(Tb) gostei do comentário da hizys!

**