miss azeitona

Como nas histórias da carochinha esta começa com "era uma vez". Ora bem, era uma vez uma azeitona num prato com tantas outras azeitonas. Uma azeitona saborosa e verdinha colhida de uma oliveira, já antiga e carregada de outras azeitonas. A sua sorte tinha sido o aperitivo, a zona nobre das azeitonas que querem alcançar um certo estatuto social. Nada dessas coisas de ser azeite ou qualquer coisa que se pusesse na frigideira para cozinhar outros alimentos. Elemento secundário. Não, esta azeitona em estado (quase) puro, polvilhada com óregãos, iria ser placidamente devorada por alguém apreciador do seu fantástico sabor no paladar. Alguém que deixaria intacto o seu caroço real. A pequena azeitona saltitava nervosa no prato de barro, especialmente concebido para ela e suas compatriotas do "mundo azeitonal". Dizia azeitonas em letras brancas. Uma mão apressou-se a recolher esta azeitona. A miss azeitona foi enfim cumprir os seus desígnios. Os caroços amontavam-se no prato. Sim, eu comi a azeitona

Comentários

Hizys disse…
SÓ RIR! :D
és cruel :O
Hizys disse…
quem sabe se a azeitona não seria miss e não lutaria pela paz das azeitonas no mundo das pessoas gulosas
Ninfa disse…
ahaha. pessoas apreciadoras do seu sabor:p nd gulosas portanto:P
delusions disse…
Gostei do texto... Mas não gosto de azeitonas :p

Bjinhos e boa semana pa ti e para a hizys*
Hizys disse…
a ninfa encontra inspiração nas coisas mais banais. isso é qé de valor =)