Das nove e meia às seis

As palavras saem-me todas erradas, misturadas do dicionário, apetece apagar tudo e dormir sobre a mesa. Como uma religião, o trabalho é bom de longe, como sonho. O verbo gostar fica à porta e entra o fazer, pesado sobre as horas, tanto que os ponteiros lutam por se mover. Esquece o que aprendeste, simplesmente escreve! Não penses nem romanceies, são três mil caracteres, nem mais, nem menos! Caracteres? Caracteres é nome de bicho. Letras, palavras. Trabalhos? Estórias, vidas, mundos. Traduzo pra mim as palavras feias, a minha língua brinca com a pastilha de fruta, framboesa a minha preferida, e os pés balançam o corpo na cadeira com rodinhas.
Não uso caracteres. As minhas letras são soltas.

Comentários

amelie disse…
as tuas letras são encantam sempre mesmo quando escreves por obrigação das 9h30 às 6, minha estagiária preferida! =)

* amelie em insónia( parte III)
Ninfa disse…
Arrepiaste-me...