sábado, setembro 29, 2007

Agora

É agora. É agora que o tempo aperta, que o tempo dói, que o tempo asfixia e rouba as palavras, é agora que o tempo foge, é agora que o tempo se perde no que foi e não volta a ser, é agora que o tempo leva o teu sorriso e os teus olhos, a tua voz por cima da varanda, por cima da televisão, o teu ar pachorrento no sofá, a tua gargalhada no café, é agora que o tempo é tirano e carrega bigornas nos teus, é agora que a tua cadeira fica vazia, é agora que há menos um braço pra brindar, é agora que falta gente para a sueca, é agora que se entreolham os amigos, é agora que se vincam rugas de choro e se apertam de cachecóis que o frio da idade arrepia. É agora que te choramos sem te abraçar, é agora.
Porque é que tem de ser agora?

2 comentários:

AR disse...

e o depois?
*

xuxana disse...

É tb agora tempo de recomeçar...


**