Desde que não vens

Noite apagada de vida e puzzle desarrumado. Peças perdidas que confusas me lembram o que sou desde que não vens, saudade. Carris na praia e mar na estação, a roupa que não usavas nesse dia em que acordaste às 6 da manhã irritado de distâncias e teimoso viste o país passar para me ver, e eu que me atrasaria para te beijar às nove. As datas esquecidas e tanto querer escondido na azáfama dos dias. Tu em cada livro e filme a balançar na mala. A mala violenta nas pernas, censurando-me os dias pesados, cansados. Agitados. Mesmo assim a vida sobra. A maior peça do puzzle eras tu.

Comentários

Alexx disse…
Um puzzle deve ser construído aos poucos... devagar... com paciência... sabendo que um dia há-de vir alguém que o desfaça e nos obrigue a refazê-lo com a certeza de que nada voltará a ser igual, pois o puzzle da vida está sempre em constante mutação... Quem foi a peça mais importante, talvez não o seja mais... Quem sabe, hoje, a peça mais importante do teu puzzle não és tu?
Beijinhos enormes da afilhada***