Na minha terra

No meu país encantado, os rios são de café com leite e correm sem destino. O cabelo muda de cor consoante a direcção do vento e as árvores são feitas de plasticina no tronco. Na minha terra de fantasias e quimeras de oiro, o mar é doce e as flores sabem a gomas. Nos bosques há criaturas bizarras e místicas, unicórnios percorrem as redondezas e todas as casas têm uma chaminé a fumegar, cheirando aos cozinhados das avós. As portas são pequeninhas e é preciso baixarmos a cabeça para entrar. A mãe natureza é generosa e no meu país não há fome nem guerras a troco de míseros tostões. Multiplicam-se as cascatas de água cor de prata ou água cor de água cristalina ou até água cor de âmbar. Há eco em todo o meu país, palavras andando de lá para cá. Assim é o tal país. Pena que seja apenas um país imaginário, circunscrito aos caminhos tortuosos da mente.

Comentários

susana disse…
quero viver na tua terra, Ninfa =)
delusions disse…
Gostei do teu país! Como é que se vai para lá? Pelos caminhos da imaginação?

Bjs* e bom fim-de-semana
enamoradopelamarta disse…
na minha terra é +/- parecido...e tem um rio de cerveja..de resto tambem ha mta alegria e magia =)
adorei esse texto..

minha escritora
Pakena Ticá disse…
Que mágica é a tua terra...
Deixou-me curiosa. Um dia vou visita-la :)

**
Alexx disse…
Posso refugiar-me no teu país de vez em quando??
Bjo gd***