domingo, outubro 22, 2006

Espontaneidade rima com Amizade


 Posted by Picasa

Sentadas em cadeiras de verga à beira da lareira, o fogo acendia os olhos e queimava as faces. O silêncio acontecia entre mãos que se tocavam escolhendo chocolates pequeninos da caixa. Pralinés... Nome francês que como os quadradinhos castanho-escuros se derretiam na boca. E os teus dedos pequeninos, que apetecia apertar! "Olha! Tens mãos de brincar!" E disparou uma máquina de gatilho atento. A tua mão sobrava na minha, grande de precisar da tua! Na noite anterior olhei-te de soslaio quando pediste para não estragar tudo, para não voltar para ele. Quando me viste chegar de madrugada, de expressão cansada, mais velha, e olhar preso nos passos de me obrigava a dar, nada perguntaste. Sabias que na minha teimosia não te ia contar nada, nem admitir que tinhas razão. Abraçaste com os teus braços pequeninos a minha grande fraqueza. Aquela fotografia ainda parece ter sido tirada ontem.

5 comentários:

e.l.i.c.i... disse...

É bom ter amigos que não nos cobram os defeitos e que não precisam de falar, o silêncio deles é tão importante. O teu post tem nomes que nem anos-luz chegam para afastar a minha mão desses nomes (a tua, também, pequenina como a minha).

joana* disse...

Que bonito Madrinha. =)
é tão bom ter alguém que nos dá esses abraços quando precisamos e que sabe exactamente o que nos dizer(ou não dizer)...

Hizys disse...

tenho mãos pequeninas que me guiam... =) e este post concerna todas as amizades que não fogem como grãos de areia pelos dedos.

AR disse...

hey...nice shot!
:)

Alexx disse...

Mais importante do que falar é saber calar as palavras desnecesárias que assomam aos lábios.... Porque as grandes amizades se fazem no silêncio do olhar e no calor dos braços em volta dos ombros...
Obrigada por tudo, madrinha, pelas conversas, pelos conselhos, pelos abraços e pelos silêncios em que me ouves.... Adoro.te :)