segunda-feira, outubro 02, 2006

Sonho-Incenso

Talvez ainda não tenhas entendido. Tu és um pedaço de papel velho, mal escrito e amachucado, de poema inacabado. Já não rimo contigo, e não sei inventar palavras de amor se nem mas cantaste. Quando cuspi a pastilha de ti (sem sabor) sem querer lembrei-te o que silenciei. Escorreguei na nostalgia mas não voltei a escrever no papel velho. Ando só a ganhar coragem para o queimar, como o sonho-incenso (ou será insonso?) de ti.

6 comentários:

e.l.i.c.i... disse...

Mas por alguma razão ainda o tens. Vá, vai buscar uma folha nova, branca, escreves (e vives) um sonho novo.

Master Inutile disse...

Moça, que se passa? Soa-me a tristeza... Se é o que estou a pensar, faz como sempre te disse: és tu que importas acima de tudo! ;)

Pakena Ticá disse...

Apesar de queimar esse papel amachucado, as cinzas vão sempre ficar... Porém, sempre podemos reciclar esse papel ou encontrar uma nova pastilha (desta vez com recheio, para tudo ser mais doce) ;)

**

o alquimista disse...

Pois amiga ficará gravado no tempo o vago do teu sentir...duvidas? Olha para dentro de ti...!

Doce beijo

AR disse...

not so sweet dreamz...

I'm broke but I'm Happy...

Alexx disse...

Gosto de rasgar papel! Não gosto nem de amachucar nem de dobrar; tenho sempre de rasgar o papel... Acho que só assim é definitivo, só assim posso deitar fora sem arrependimentos... E mesmo assim posso sempre voltar atrás e colá.lo bem coladinho com fita.cola... No entanto, há mesmo uma altura em que devemos ganhar a coragem e deitar fora o lixo que guardamos. Lindo como sempre ;)