segunda-feira, setembro 04, 2006

Palavras sussurradas

Palavras sussurradas. Não faladas em voz alta. Vida, rastilho de pólvora. Que a tua vida seja rastilho, jamais se apague, cada vez mais se inflame. Eu explosão efusiva da realidade em fantasias, espelhadas em arco íris multicores. Palavras em tom baixo. Sonhos dispersos em nevoeiros suspeitos, sonhos nunca tocados. Palavras amedrontadas. E o rastilho de pólvora a arder cada vez mais rápido. Onde está a ponta deste rastilho?? Quem é esse omnipotente pirómano que nos criou?Deus-Pirómano. Palavras. Mais palavras. Nunca tocadas. Proferidas, silabadas, soletradas, vendidas, compradas. Algumas como a vida, rastilho, fogo, fogo-de-artifício. Queimam. Tantas palavras. Estas sussurro-as por medo de as fazer eclodir no mundo. Palavras de nada e de tudo. Para dizer que estamos vivos, mas é melhor não fazer muito ruído. Está tudo a dormir.O mundo dorme, letárgico e incompleto enquanto busco novos isqueiros para acender este....tal.....único...rastilho que nos faz efectivamente SER. sem margens, sem barreiras, sem diques que impeçam a vida de rebentar, pulsar, vibrar.

3 comentários:

Hizys disse...

palavras, tantas palavras! que fazem tão bem!!

Anónimo disse...

Ás vezes sao as simples palavras q faltam, e q impedem a vida de seguir o seu curso

PmCDP disse...

Este blog é uma batalha de palavras! Eh! Original portanto...