terça-feira, janeiro 28, 2014

Chuva violenta

Começa a chover violentamente. Chove nas ruas. Chove nas casas. Chove nos corações. Mas eu nunca tive medo de chuva e não são umas gotas idiotas que me vão derrubar. O som da chuva ressoa nos ouvidos e faz eco. Viagem entre o céu e o solo. Gotas de água vão caindo e morrendo no chão e vou pisando o solo molhado enquanto um vento gelado me atravessa a espinha. Ainda assim, sinto-me viva. Os sentidos finalmente despertos. Continuo sozinha e não lutao contra a chuva, que agora não passa de chuva molha-parvos ou chuva molha-sonhadores. Eu vou sonhando e andando mas o piso é escorregadio. Foi da chuva que alagou as ruas, as casas...e até os corações.

Sem comentários: