quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Dias de tudo e de nada

"Há os dias que são feitos de tudo, de espontaneidade e conquistas, os dias em que a vida é cheia de sentido e invencibilidade. E depois há os outros, que são quase todos — os outros que não sendo iguais entre si acabam por se definir na dificuldade que temos em encontrar algo que nos desprenda de nós próprios. Algo que nos faça sentir mais seguros nas nossas escolhas, na nossa maneira de ser e na nossa forma de ver o mundo. Porque em última análise, a alienação constante a que nos entregamos é só isso mesmo, uma forma inconsciente de nos sentirmos menos sozinhos."

in P3

1 comentário:

Gustavo Gomes disse...

Vale a pena ler e ver o Letras Soltas Muito BOM.