Vermelho-papoila

O jardim agora está mais bonito. Apressa-se o passo passeando pelo passeio. O jardim vestido numa míriade de tons avermelhados, vermelho-papoila, vermelho-o-meu-vestido. Vermelho-amor. Ou o vermelho dos beijos que são como as cerejas, que como sem me importar de repetir. Uma e outra vez. Atrás das orquídeas que florescem e do cheiro a rosmaninho do meu jardim encantado. O vestido rodopia sem se cansar, dança no crepúsculo de mais um dia. O teu olhar dança no meu e os teus olhos lembram-me cidades que nunca visitei. Mas agora sinto que conheço o mundo inteiro no meu pequeno jardim. O Outono está a chegar e em breve as folhas vão-se desprender das árvores. É esse o aroma dos teus olhos, as folhas, as árvores e,claro, as cidades pinceladas de tons sépia. No teu olhar há um labirinto. No meu jardim um canteiro. Onde se esconde o que não queremos que mais ninguém saiba. Mas ensinaste-me como percorrer o labirinto dos olhos cor-de-sonho e plantaste flores no meu canteiro. Agora já não podemos fugir porque partilhámos um lanche de segredos neste meu jardim vermelho-paixão, a condizer com o vestido e os sapatos e a chama nos teus olhos a lembrar cidades. Agora acho que consigo ver Paris, a cidade da paixão. Mas está tudo tão vermelho. É o meu jardim, Paris, a paixão. Tudo junto num lugar maior-grande-gigante-mais-que-enorme e que não se inventa nem se dá à toa. Muito prazer, chamo-me coração. Com letra pequena e tamanho desconhecido.

Comentários

Tracey disse…
oh adoro este Martinha!
Old Eagle disse…
Muito bonito, seu "Vermelho-papoila"!
Achei um blog que gosto! Abraços!
Raquel Póvoas disse…
Adoro o que escreves.