sexta-feira, dezembro 22, 2006

Montanha-russa do coração e toda eu às voltas, voltas, voltas. Será que voltas? As minhas unhas arranham as pupilas que piscam o teu rosto e desfaço-te do meu sonhar como a um puzzle. SAI! Sai e leva o teu sorriso crivado nos meus olhos como uma espinha na garganta. J'ai les yeux en flame. Passion en flambé de douleur. Os olhos inflamados de te esfregar de mim. E no nevoeiro de te perder. O lume de ti que ardia em mim apagou-se. O meu quarto está cheio de fumo. Ficaram as cinzas espalhadas ao pé dos cachecóis e o mais avermelhado cheira às manhãs-relâmpago que passei contigo. Podes levá-lo, também. Leva-te de mim. Leva os teus restos, por favor.

3 comentários:

delusions disse...

"Os olhos inflamados de te esfregar de mim. E no nevoeiro de te perder."

Mais um texto lindíssimo e poderoso...
Bjinhos para as duas e Boas Festas*

AR disse...

tanto fumo...sem fogo!
boas fetas!
;)*

Anónimo disse...

(fora do contexto: o teu outro blog, o do panico, esta engraçado! a cena da viuva é mm fixe LOL um dia tb serei eheh bjinho*)